Debate Saúde – Eleições 2016 reúne os candidatos à prefeitura de Belém

Data: 25/10/2016

Autoridades e profissionais da saúde, além de correligionários, puderam ouvir as propostas dos dois candidatos à prefeitura de Belém, Edmilson Rodrigues e Zenaldo Coutinho, para o setor da saúde, durante o Debate Saúde – Eleições 2016, realizado na noite de ontem (24), no auditório da Computer Hall. Ação, inédita no município, foi organizada pelo Sindesspa e Sindmepa, em parceria com o CRM-PA e com a SMCP.

Ao longo de duas horas e meia, os candidatos ouviram questionamentos elaborados pela organização sobre temas de extrema importância. No Primeiro Bloco, cada candidato teve três minutos para responder a pergunta sobre as suas prioridades para a área da saúde em Belém, caso seja eleito. No Segundo Bloco, foram feitas perguntas específicas sobre o Programa de Atenção Básica, Urgência e Emergência, Regulação das ações e serviços de saúde, e Financiamento da Saúde. As perguntas foram feitas pela mediadora do debate, a jornalista Nélia Ruffeil, e cada candidato teve direito a réplica e tréplica.

O Terceiro Bloco foi reservado para que os candidatos fizessem perguntas entre si sobre temas livres com foco na saúde. No Quarto Bloco, as quatro entidades organizadoras fizeram uma pergunta cada direcionada aos dois candidatos. O Sindesspa fez a seguinte pergunta à eles: “"No início dos anos 2000, a iniciativa privada era responsável por mais de 20% dos atendimentos do SUS. Atualmente, responde por menos de 7%, principalmente devido ao congelamento da tabela do SUS, que inviabiliza o funcionamento da maioria dos serviços privados. Segundo dados da Secretaria de Saúde de São Paulo, o custo das unidades públicas é 6 vezes maior quando realizado através da administração direta ou 5 vezes maior quando realizado através de OS. Baseado nessa informação, por que durante seus governos manteve-se a preferência pela prestação direta do atendimento e não se buscou uma forma de viabilizar a contratação dos serviços privados? Ou seria única e exclusivamente um problema ideológico a não contratação de um serviço melhor e mais barato?". Acompanhe no vídeo abaixo as respostas dos candidatos.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

No último bloco, foram selecionadas três perguntas enviadas pelo público através do aplicativo whatsapp. Em seguida, os dois candidatos tiveram dois minutos cada para fazer as suas considerações finais. Para o presidente do Sindesspa, o debate cumpriu o seu papel de dar espaço para que a sociedade e as entidades de saúde pudessem ter a sua participação neste processo eleitoral. “A ideia de realizar um debate com foco apenas em assuntos da saúde tinha como objetivo poder ouvir os candidatos e suas propostas, e, principalmente, dar espaço para que pudéssemos questioná-los sobre seus projetos. A partir disso, quando for eleito o novo governante de Belém, vamos poder acompanhar a sua gestão e ver se suas promessas serão cumpridas. Acredito que esta ação vai ficar marcada na história das demais entidades, assim como já está na história do Sindesspa”, avaliou o presidente.

Tanto o público como os dois candidatos receberam o documento “Saúde Belém 2016 - A Sustentabilidade do Sistema de Saúde de Belém", que propõe uma série de projetos para serem colocados em prática pelo futuro prefeito, com base em um panorama do setor saúde do município e de seus distritos, visando a melhoria da saúde da população belenense. Veja a seguir o vídeo do momento em que o presidente do Sindesspa realiza a entrega do documento aos candidatos.

Endereço: Tv. São Pedro, 566 - Belém - PA, 66023-570 

Telefone: (91) 3224-1819 // (91) 3224-8606